Comportamento, Dia a Dia


Estamos impondo nosso ritmo para os nossos filhos?


Você já reparou que as vezes, sem querer, você apressa seu filho? Pede para ele andar mais rápido, comer mais rápido, se vestir mais rápido…No nosso dia a dia corrido que tentamos dar conta de tudo nem sempre conseguimos aproveitar os momentos ou o que estamos fazendo porque simplesmente estamos ansiosas para começar a próxima tarefa.

Não sabemos se isso já aconteceu com vocês, mas ao longo do tempo percebemos alguns sinais e reflexos disso nos nossos pequenos. São pequenos sinais, as vezes quase invisíveis no dia a dia. Pode ser que você nem repare. Normal. Estamos correndo. Mas um dia você repara. Pode ser que esteja mais calma, o dia está menos corrido ou simplesmente só está mais atenta. Nesse dia, quando você percebe… seu coração se aperta. Também já aconteceu com a gente de perceber isso, mudar alguns padrões de comportamento, mas aos poucos ir caindo de novo nos velhos hábitos. Até a próxima vez que algo acontece que abre os nossos olhos para o assunto.

Já discutimos esse assunto com muitas mamães e inclusive com pedagogas e pediatras. É muito claro que a nossa pressa afeta os nossos pequenos. Na verdade até a maneira como educamos influencia muito nisso. Normalmente queremos que eles sempre cheguem a próxima etapa. Que sente logo, que ande logo, que fale logo…Na escola não é muito diferente. Sempre estimulados, não existem momentos de calmaria ou tédio. Eles precisam estar constantemente aprendendo alguma coisa.

Se você procurar no google “dicas de como estimular o desenvolvimento do bebê” você vai achar muita coisa. Agora, tente procurar “dicas para criar crianças menos ansiosas”. Acho que aí…bom, não vai aparecer quase nada.

Existe um novo movimento inclusive chamado “Slow-parenting” que simplesmente tenta resgatar uma maternidade mais tranquila, com menos pressão, menos programação e um brincar menos estruturado. Resolvemos juntar aqui, depois de ler bastante, 7 dicas que achamos que realmente vale a pena seguir dessa novo movimento:

checkDê tempo para o que está sendo aprendido ser digerido: Planeje qualquer atividade (desde brincadeiras até atividades e esportes) com intervalos entre eles. As crianças precisam de tempo para processar e absorver o que estão vendo. E se algo chamar muito a atenção da criança ela naturalmente vai querer continuar com aquela atividade mesmo durante o “intervalo”.

checkFique “apenas” junto: Ao invés de planejar o final de semana ou o tempo em família a cada segundo, que tal deixar um tempo, no final do dia, para só estar juntos? Fique em casa a toa. Veja o que acaba surgindo de idéias para fazer. Normalmente essas são as melhores idéias, os melhores momentos e aqueles que todos se sentem melhor e mais felizes.

checkEncoraje um brincar sem final ou conclusão: Conscientemente ache uma maneira de criar na vida do seu pequeno espaços aonde não existe certo e errado. Brincadeiras que não tenham final normalmente estimulam a criatividade como, por exemplo, contar histórias em grupo aonde cada um complementa o outro.

checkDeixe seu pequeno a vontade para brincar: Encha sua casa de oportunidades de brincadeira e deixe seu filho escolher o que prefere fazer: livros, quebra cabeça, jogos brinquedos. Nisso o método montessoriano de deixar os brinquedos ao alcance dos pequenos é excelente. Alguns exemplos: deixe eles folharem livros sem contar a história ou ficar ensinando palavras ou letras. Ou deixe ele sozinho tentar montar um quebra cabeça – apenas observe de longe.

checkDê o exemplo: Quando você estica as pernas e senta não é só você que fica mais relaxado – seu pequeno bem provavelmente também vai estar mais relaxado. As crianças seguem os nossos exemplos. Então, se dê um tempo para andar devagar ou simplesmente relaxar.

checkTente ver o mundo do jeito deles: Nós sempre estamos com pressa, mas as crianças não. Uma volta no parque são milhões de possibilidades de achar folhas em formatos diferentes, ver a grama molhada logo cedo…Que tal, uma vez ou outra, tentar entrar na brincadeira e ver o mundo do jeito deles e não do nosso?