Sem categoria


Desfralde…e agora?


desfralde-keep-calmChega o momento do desfralde, seja pela escola, pela vontade dos pequenos ou por circunstâncias da vida…uma hora ele chega! Este é um daqueles momentos que podem significar a libertação ou a origem de muita insônia dos pais. Fato é que ele deveria ser uma transição tranquila para toda a família, e, não deveria gerar tanto caos.

Por aqui, as coisas seguiram rumos diferentes. Enquanto uma de nós passava por uma grande mudança de endereço e não podia incorporar mais uma transformação na sua vida; a outra, está com um bebê a caminho e isso fez com que ela acelerasse o processo de saída das fraldas.

Sem que houvesse traumas ou desconfortos, conversamos e reunimos algumas dicas para auxiliar os pais neste momento:

1 – Esteja preparada: desfraldar exige paciência, tempo e conversa. É importante que tanto você como as pessoas que passem tempo com seu pequeno (babá, avós ou escola) estejam alinhados quanto a forma de conduzir e se portar diante disso. Precisa haver coerência para não confundir o pequeno e todos tem que estar falando a mesma “língua”

2 – Respeite o tempo de cada criança: por mais que uma de nós tenha acelerado o processo, isso só aconteceu porque ele era o único da escola a usar fralda ainda e já “puxava” a fralda toda vez que fazia xixi. Cada um tem um tempo e precisamos identificar isso para que não seja feito fora do que o corpo deles consegue se adaptar – converse sempre com a pediatra para que haja acompanhamento das fases em que é possível começar o desfralde. Por regra, hoje não é recomendado desfraldar antes dos 2 anos, já que antes disso, a criança não consegue controlar os esfíncteres.

3 – Estipule um local: no começo, o ideal é que você ofereça um local apenas que pode ser o penico ou o redutor de assento sanitário. Mas mantenha, pelo menos dentro da sua própria casa, o mesmo lugar.

4 – Faça em etapas: comece com o desfralde diurno, depois passe para o noturno, e, durante as saídas. Este processo pode demorar dias ou meses, vale a mesma dica do item 2 “respeite o tempo de cada criança”. Só passe para o próximo nível quando o pequeno estiver confortável e seguro, avançar uma etapa pode regredir todo o processo.

5 – Converse muito com o pequeno durante todo o processo. Pergunte sempre se ele quer fazer xixi ou cocô, pois no começo pode ser que ele não saiba quando está com vontade – pode ser que você vá a cada 20 minutos no banheiro (não se assuste, é normal!). Aqui vale usar livrinhos, historinhas e tudo mais que tiver direito para explicar de forma lúdica e fácil como usar o penico/assento.